Arte e os cuidados de verão

                   Arte e os cuidados de verão

 

 

Felizmente chegou a hora e parece que aos poucos o calor esta de volta, e como sempre vem com toda força. Quando se trata de obras de arte, todo tipo de caloria em excesso, é altamente prejudicial e nociva, principalmente aos quadros e arte sobre base de celulose (papeis).

No caso dos quadros, quando não pintados a óleo, o ressecamento da tela é bem grande, visto que não existe no caso a oleosidade para “segurar a barra” hidratando a tela e deixando os pigmentos estáveis. Hoje a técnica mais usada é o acrílico sobre tela, uma tinta que tem a água como p.s.p, os pigmentos são em sua maioria sintéticos e por conta disso o risco maior de degeneração por ser desprovida da proteção natural e a falta umidade que vem a acarretar a tela (tecido) um processo que a deixa quebradiça e instável. Nesses casos, eu recomendo que seja passado em pequenas quantidades, creme hidratante na tela, pouca coisa, apenas o suficiente para dar um novo vigor às fibras do tecido (na parte de trás da obra), o que interromperá o processo de degeneração. Pode ser usado um algodão, ou mesmo ser passado com as mãos com muita delicadeza. O importante é que o quadro não fique no chão com a pintura voltada para cima, pois isso iria fazer o excesso de creme evaporar pela frente e certamente criar fissuras na capa pictórica para tal. O básico tambem é nunca deixar o sol pegar diretamente em um quadro, ou qualquer tipo de obras de arte, que não tenha o padrão e componentes para exposição externa, isso fatalmente iria acarretar a degeneração total de seu bem. Se tiver quadros no apartamento da praia, deixe na sala um balde cheio d´água, o que virá a aliviar um pouco a falta de umidade do ar.

No caso dos papéis, o calor acarreta um maior desenvolvimento das colônias de fungo geradas durante os períodos de grande umidade, e quanto mais calor, mais rapidamente os fungos se multiplicam. O procedimento nesse caso é deixar os papeis o mais longe possível das mudanças climáticas, deixar em lugares ventilados e frescos, e jamais aprisionados em gavetas ou pastas, que são os nichos ideais para o processo de decomposição. Não passe nada nos papéis, certamente iria danificar o trabalho artístico para sempre. A única coisa que pode passar é uma ponta seca quando as colônias de fungo estiverem salientes demais, mas o recomendado é enviar rapidamente a seu restaurador de confiança. Esses procedimentos de certo modo simples são o suficiente para que suas obras passem o verão sem grandes problemas, o que diretamente influi em sua conta bancária, no bolso e lógico, no humor!

Bom calor para todos nos..

 

Carlos Rielli

 

 

[ página principal ] [ ver mensagens anteriores ]



Meu Perfil
BRASIL , Sudeste , SAO PAULO , PERDIZES , Homem

 
    Visitante número: